francais-600x307.jpg
francais-600x307.jpg

Hungria, campeã da utilização das redes sociais na procura de emprego?

A Randstad acaba de publicar os resultados de uma pesquisa sobre o uso das redes sociais na busca de emprego, denominada Randstad Award 2015. 11.859 pessoas representativas da população francesa e potencialmente ativas (de 18 a 65 anos) foram questionadas na França. Ele mostra que 34,5% dos franceses dizem que usam as redes sociais como parte de sua busca de emprego, um número que não mudou desde a quarta edição de nossa pesquisa sobre o assunto , publicada em 2013 (34% indicaram que usavam redes sociais ).

francais-600x307.jpg
francais-600×307.jpg

A ordem das redes sociais utilizadas é, por outro lado, muito diferente, pois é… Facebook (55,9%) que aparece na liderança, à frente das redes sociais profissionais: 41,5% dos usuários para LinkedIn, 34,4% para Viadeo. Twitter vem em quarto lugar com 16,4% dos crentes. Isso destaca o papel dessas redes sociais, extensões da rede física utilizada até então. Com efeito, é difícil pensar que a procura de emprego seja feita diretamente numa rede como o Facebook, parecendo-se mais credível o envolvimento da rede e o boca a boca. Ou a publicação de anúncios, sendo o RS então nada mais do que retransmissores? 65,5% dos jovens usam o Facebook, os não graduados também superam (65,7%) assim como os níveis de Bac e CAP (71%). Os RSPs se saem melhor com executivos e graduados de um Bac +4/+5,

réseaux-utilisés-600x385.jpg
réseaux-utilisés-600×385.jpg

Últimas informações fornecidas pela Randstad, as diferenças de uso por país entre suas diferentes pesquisas. A Hungria está no topo dos usos, com 75% dos usuários, à frente da Argentina (72%) e da Itália (71%). A França é a penúltima com seus 34%, empatada com a Austrália e um pouco à frente do Japão (26%). Dada a estagnação dos números de usuários por vários anos, não é surpreendente encontrar a França na parte de trás do pelotão.

pays-reseaux-sociaux-600x531.jpg
pays-reseaux-sociaux-600×531.jpg

pt_BRPortuguese